Faias de S. Lourenço

No coração da Serra da Estrela, a jusante do vale glaciar do rio Zêzere situa-se a vila de Manteigas, ladeada por encostas de vegetação e arborização diversa, tais como Pinheiros, Castanheiros, Bétulas, Carvalhos, Faias, … e outras mais. É uma vila agradável de visitar em qualquer altura do ano, no entanto é no Outono que a sua paisagem adquire características únicas, com aquele amarelo em tons mais ou menos acastanhados, ou avermelhados, a enfeitar as encostas da serra, criando contraste com as árvores de folha persistente, tornando-a apetecível para caminhantes e amantes de fotografia, que nesta altura do ano afluem em grande número a esta zona e em particular a esta localidade..

Vila de Manteigas

Conteúdos deste artigo

_______________

Outros locais visitados

_______________

É numa dessas encostas que se localiza a maior concentração de Faias existente em Portugal, plantadas pelos serviços florestais de Manteigas no inicio do século passado. É um bosque de encanto único pelas suas cores verdejantes na Primavera e Verão, e pelos tons dourados no Outono.

A visita a este lugar já havia sido programada à algum tempo, como as variações do clima ao longo do ano influenciam a natureza, a única certeza de que dispunha era que a visita devia ser feita ao longo do mês de Novembro. Uma vez aqui concluo que este ano devia ter vindo oito dias antes, no entanto, Manteigas tem muitos trilhos para percorrer e, mesmo admitindo ainda ser cedo, para o ano quase de certeza voltarei…

(a quem interessar, para referência fui no dia 18/11)

PR13MTG – Faias de S. Lourenço (o trilho)

Para quem tenha interesse num pouco mais de contacto com a natureza, pode começar a Rota das Faias na periferia da vila, seguindo encosta acima até ao bosque onde se encontram as faias. A distância deve ser pouco mais do que 1 Km, no entanto essa não foi a opção seguida, como tal não me é possível descrever informações referentes a essa parte. Seguir por estrada até lá é fácil, as Faias de S. Lourenço tornaram-se famosas ao ponto do início da rota vir indicado no Google Mapps (gps).

O Município local criou recentemente um evento cuja primeira edição à hora desta postagem ainda estava a decorrer, (terminava a 28/11), para celebrar o Outono da serra da Estrela com o nome: “Faias Serra da Estrela 21”, com varias atividades ligadas ao Outono e às Faias, entre elas fotografia, gastronomia, caminhadas,…(…) e atletismo pela paisagem de Manteigas.

Se for de carro, ao chegar ao local, no início do percurso à esquerda tem uma zona ampla e espaçosa onde poderá estacionar. A partir daqui segue por um caminho de terra batida em direção às Faias, tendo um pouco mais à frente a opção de seguir pela parte inferior ou superior.

Zona de estacionamento no inicio do PR13

Se for do seu interesse chegar rápido às Faias, basta que se mantenha a caminhar no sentido horizontal, algumas dezenas de metros mais à frente entrará naquele mundo dourado, entre nós hoje bem conhecido pelas imagens partilhadas nas redes sociais. Posteriormente o que há é mais para ver e sentir do que para descrever, é um percurso circular, sempre com aquele dourado de Outono a ladear os aceiros por onde caminha. É uma sensação única. Utilizando os termos de hoje, é algo que nos deixa de coração cheio enquanto caminhamos pelo seu interior.

Se seguir o percurso pelo lado inferior, ou seja, seguindo a caminhar sempre na horizontal até chegar às faias, recomendo virar à esquerda quando chegar à “casa do leite”. Para que tenha melhor noção, a mancha principal das faias encontra-se daí para cima. Na volta tem a opção de seguir o trilho até ao ponto de inicio, podendo no entanto embrenhar-se de novo no meio daquele dourado e regressar pela mesmo caminho que levou até lá.

Casa do leite

No cimo da encosta, junto ao trilho existe um posto de vigia de onde pode obter uma enorme vista sobre a população de Sameiro e todo o vale à sua frente. Avista-se o vale do Zêzere, a zona por onde corre a ribeira de Leandres, uma parte de Manteigas, e toda a envolvência até onde a vista alcança.

Capela de S. Lourenço

Continuando o percurso, um pouco mais à frente irá encontrar a capelinha de S. Lourenço, de onde advém o nome: Faias de S. Lourenço. A Capelinha encontra-se ladeada por um conjunto de carvalhos monumentais que são um testemunho vivo da historia, estima-se que contabilizem cerca de 400 anos. Segundo se consta, a sua localização não era aqui mas sim num lugar mais próximo da vila, no entanto, um dia a imagem de S. Lourenço desapareceu e foi encontrada ali, naquele lugar onde hoje é venerada.

Miradouro de S. Lourenço

____________

Localização

____________

Como chegar a Manteigas

Para chegar às Faias de S. Lourenço deve colocar no seu destino a Vila de Manteigas. Se vier do litoral não tem como “fugir” à Serra da Estrela, terá mesmo de a atravessar passando por S. Romão, Vale do Rossin, e de seguida Panhas Douradas. Pode Também optar por vir em direção ao Sabugueiro, tendo neste caso de subir à torre e descer depois pelo vale glaciar do Rio Zêzere. Do lado norte venha com destino a Celorico da Beira, seguindo depois a N16 até Guarda, posteriormente a N18 até Belmonte, e por fim a N232 até Manteigas. Pelo lado sul venha com destino a Covilhã, seguindo depois a N18 também até Belmonte, e novamente aqui a N232 até Manteigas.

Faias de S. Lourenço – Ficha técnica

  • Extensão: 5,4 km
  • Duração estimada: 3 horas
  • Tipo de Percurso: Circular
  • Grau de dificuldade: Médio
  • Desnível entre limite superior e inferior: 280 metros
  • Comentário: Ir na segunda semana de Novembro, acredito que essa possa ser a melhor altura.
A cor verde mais escura é o acesso para quem inicia a caminhada na vila. O verde mais claro é o trilho.

Neste dia o jantar foi no restaurante do hotel onde fiquei instalado. Apesar de bem servido, é um lugar onde é quase impossível o contacto de proximidade com as pessoas da localidade visitada, uma vez que a totalidade dos clientes são pessoas de fora. Por esse motivo esta será uma experiência a não repetir.

Truta de Manteigas, com batata assada, migas e esparregado de grelos.

Outros locais visitados


Mondeguinho

Nascente do Rio Mondego, o maior rio Português, o primeiro de todos os que têm o seu curso inteiramente em Portugal. Existem outros maiores que atravessam Portugal, mas com nascente em Espanha. O Rio Mondego nasce na Serra da Estrela, na freguesia de Mangualde da Serra, percorre toda a região centro indo desaguar diretamente no oceano atlântico, junto à cidade da Figueira da Foz.

Vale do Rossim

Praia Fluvial do Vale do Rossim, um pequeno paraíso situado próximo das Penhas Douradas, a uma altitude de 1437 metros. Um lugar de beleza singular digna de ser preservada, onde poderá disfrutar de banhos refrescantes nos dias quentes de Verão. Um espaço com cantos e recantos maravilhosos que poderá aproveitar em família para fazer pic-nic e outras atividades de lazer.

A zona está equipada com um Ecoresort, que conta com um espaço para campismo, mas também yurts, um tipo de tendas usadas habitualmente por pastores de origem Mongol e da Ásia central, como os Quirguizes e os Cazaques. No interior tem comodidade semelhante a um quarto de hotel, neste caso com a vantagem de estar em pleno parque natural da Serra da Estrela.

Inaugurada em 1956, a albufeira do Vale do Rossim foi construída por iniciativa da empresa hidroelétrica da Serra da Estrela, com o objetivo de reter e armazenar a água proveniente da ribeira de Fervença para abastecimento da central hidroelétrica do Sabugueiro. A periferia da barragem é fortemente marcada pela presença granítica, tendo sido este tipo de rocha um dos principais materiais usado na sua construção. Hoje esta albufeira é um espaço balnear com procura crescente, tornando-o num ponto nevrálgico do turismo de verão na serra da Estrela.

Miradouro do Fragão do Corvo

A partir do Miradouro do Fragão do corvo, situado a cerca de 1440 metros de altitude, consegue-se uma vista panorâmica total sobre a Vila de Manteigas, mesmo ali à nossa frente. Vê-se também para a zona mais a norte alguns campos de cultivo, para sul vista sobre a Fraga da Cruz, e na linha do horizonte conseguimos ainda identificar a cidade da Guarda.

Miradouro do Fragão do Corvo

Visitar o viveiro de trutas de Manteigas

Este viveiro é gerido pelo ICNF e já foi abordado num outro artigo neste blog. Caso seja do seu interesse pode fazer-lhe uma visita, é de entrada gratuita. Pode também adquirir alguns exemplares, se assim o entender. Existe venda no local, no entanto a aquisição tem de ser efetuada no centro da vila, nos serviços do ICNF. Este viveiro tira proveito das águas frias e cristalinas que vêem da serra e chegam até aqui com condições excelentes para a truticultura.

Outras imagens

Vale Glaciar do Zêzere

Deixe um comentário usando o formulário.

Bem haja!

2 Comments

Deixe um comentário