Faias de S. Lourenço

No coração da Serra da Estrela, a jusante do vale glaciar do rio Zêzere situa-se a vila de Manteigas, ladeada por encostas de vegetação e arborização diversa, tais como Pinheiros, Castanheiros, Bétulas, Carvalhos, Faias, … e outras mais.

Vila de Manteigas

É uma vila agradável de visitar em qualquer altura do ano, no entanto é no Outono que adquire características únicas nas suas encostas, com aquele amarelo em tons mais ou menos acastanhados, ou avermelhados, a enfeitar a paisagem, criando contraste com as árvores de folha persistente, tornando-a apetecível para caminhantes e amantes de fotografia que nesta altura do ano afluem em grande número a esta zona, e em particular a esta localidade..

É numa dessas encostas que se localiza a maior concentração de Faias existente em Portugal, plantadas pelos serviços florestais de Manteigas no inicio do século passado. É um bosque de encanto único pelas suas cores verdejantes na Primavera e Verão, e pelos tons dourados e avermelhados no Outono.

A visita a este lugar já havia sido programada à algum tempo, como as variações do clima ao longo do ano influenciam a natureza, a única certeza de que dispunha era que a visita devia ser feita ao longo do mês de Novembro. Uma vez aqui, concluo que este ano devia ter vindo pelo menos 5 dias mais cedo, no entanto Manteigas tem muitos trilhos para percorrer, e mesmo admitindo ainda ser cedo, para o ano quase de certeza voltarei…

(a quem interessar, para referência fui no dia 18/11)

PR13MTG – O trilho

Para quem tenha interesse num pouco mais de contacto com a natureza, pode começar a Rota das Faias na periferia da vila, seguindo encosta acima até ao bosque onde se encontram as faias. A distância deve ser pouco mais do que 1 Km, no entanto essa não foi a opção seguida, como tal não me é possível descrever informações referentes a essa parte. Seguir por estrada até lá é fácil, as Faias de S. Lourenço tornaram-se famosas ao ponto do início da rota vir indicado no Google Mapps (gps).

O Município local criou recentemente um evento cuja primeira edição à hora desta postagem ainda estava a decorrer, (terminava a 28/11), para celebrar o Outono da serra da Estrela com o nome: “Faias Serra da Estrela 21”, com varias actividades ligadas ao Outono e às Faias, entre elas fotografia, gastronomia, caminhadas,…(…) e atletismo, pela paisagem de Manteigas.

Zona de estacionamento no inicio do PR13

Se for de carro, ao chegar ao local, no início do percurso à esquerda no sentido ascendente, tem uma zona ampla e espaçosa onde poderá estacionar. A partir daqui segue por um caminho de terra batida, (tout-venant) em direcção às Faias, tendo um pouco mais à frente a opção de seguir pela parte inferior ou superior. Se for do seu interesse chegar rápido às Faias, basta que se mantenha a caminhar no sentido horizontal, algumas dezenas de metros mais à frente entrará naquele mundo dourado, entre nós hoje bem conhecido pelas imagens que os meios virtuais e as redes sociais foram partilhando. Posteriormente o que há é mais para ver e sentir do que para descrever, é um percurso circular sempre com aquele dourado de Outono a ladear os aceiros por onde caminha. É uma sensação única. Utilizando os termos de hoje, é algo que nos deixa de coração cheio enquanto caminhamos pelo seu interior.

Se seguir o percurso pelo lado inferior, ou seja, seguindo a caminhar sempre na horizontal até chegar às faias, recomendo virar à esquerda quando chegar à “casa do leite”. Para que tenha melhor noção, a mancha principal das faias encontra-se daí para cima. Na volta tem a opção de seguir o trilho até ao ponto de inicio, podendo no entanto embrenhar-se de novo no meio daquele dourado e regressar pela mesmo caminho que levou até lá, facilmente encontrará o ponto onde o fazer.

No cimo da encosta, junto ao trilho existe um posto de vigia de onde pode obter uma enorme vista sobre a população de Sameiro e todo o vale à sua frente. Avista-se o vale do Zêzere, a zona por onde corre a ribeira de Leandres, uma parte de Manteigas, e toda a envolvência até onde a vista alcança.

Continuando o percurso, um pouco mais à frente irá encontrar a capelinha de S. Lourenço, de onde advém o nome: Faias de S. Lourenço. A Capelinha encontra-se ladeada por um conjunto de Carvalhos monumentais que são um testemunho vivo da historia, estima-se que contabilizem cerca de 400 anos. Segundo se consta, a sua localização não era aqui mas sim num lugar mais próximo da vila, no entanto, um dia a imagem de S. Lourenço desapareceu e foi encontrada ali, naquele lugar onde hoje é venerada.

Miradouro de S. Lourenço

Faias de S. Lourenço (rota das faias)

  • Extensão: 5,4 km
  • Duração estimada: 3 horas
  • Tipo de Percurso: Circular
  • Grau de dificuldade: Médio
  • Desnível entre limite superior e inferior: 280 metros
  • Comentário: Ir na segunda semana de Novembro, acredito que essa possa ser a melhor altura.
A cor verde mais escura é o acesso para quem inicia a caminhada na vila. O verde mais claro é o trilho.

Neste dia o jantar foi no restaurante do hotel onde fiquei instalado. Apesar de bem servido, é um lugar onde é quase impossível o contacto de proximidade com as pessoas da localidade visitada, uma vez que a totalidade dos clientes são pessoas de fora. Por esse motivo, fazendo jus a um dos pontos que falo num dos parágrafos na minha apresentação, esta será uma iniciativa a não repetir.

Truta de Manteigas, com batata assada, migas e esparregado de grelos.

Como chegar às Faias de S. Lourenço

Para chegar às Faias de S. Lourenço deve colocar no seu destino a Vila de Manteigas. Se vier do litoral não tem como “fugir” à Serra da Estrela, terá mesmo de a atravessar passando por S. Romão, Vale do Rossin, e de seguida Panhas Douradas. Pode Também optar por vir com direcção ao Sabugueiro, tendo neste caso de subir à torre e descer depois pelo vale glaciar do Rio Zêzere. Do lado norte venha com destino a Celorico da Beira, seguindo depois a N16 até Guarda, posteriormente a N18 até Belmonte, e por fim a N232 até Manteigas. Pelo lado sul venha com destino a Covilhã, seguindo depois a N18 também até Belmonte, e novamente aqui a N232 até Manteigas.

_______________

Outros pontos de visita além das Faias de S. Lourenço

  • Mondeguinho

Nascente do Rio Mondego, o maior rio Português, o primeiro de todos os que têm o seu curso inteiramente em Portugal. Existem outros maiores que atravessam Portugal, mas com nascente em Espanha. O Rio Mondego nasce na Serra da Estrela, na freguesia de Mangualde da Serra, percorre toda a região centro, indo desaguar directamente no oceano atlântico, junto à cidade da Figueira da Foz.

  • Vale do Rossim

Praia Fluvial do Vale do Rossim, um pequeno paraíso situado próximo das Penhas Douradas a uma altitude de 1437 metros. Um lugar de beleza singular digna de ser preservada, onde poderá disfrutar de banhos refrescantes nos dias quentes de Verão. Um espaço com cantos e recantos maravilhosos que poderá aproveitar em família para fazer pic-nic, e outras actividades de lazer. Actividades como rappel, slide, canoagem, passeios pedestres ou BTT estão também incluídos.

A zona está equipada com um Ecoresort, que conta com um espaço para campismo, mas também yurts, um tipo de tendas usadas habitualmente por pastores de origem Mongol, e da Ásia central, como os Quirguizes e os Cazaques. No interior tem comodidade semelhante a um quarto de hotel, neste caso com a vantagem de estar em pleno parque natural da Serra da Estrela.

Inaugurada em 1956, a albufeira do Vale do Rossim foi construída por iniciativa da empresa hidroeléctrica da Serra da Estrela, com o objectivo de reter e armazenar a água proveniente da ribeira de Fervença, para abastecimento da central hidroeléctrica do Sabugueiro. A periferia da barragem é fortemente marcada pela presença granítica, tendo sido este tipo de rocha um dos principais materiais usado na sua construção. Hoje esta albufeira é um espaço balnear com procura crescente, tornando-o num ponto nevrálgico do turismo de Verão na serra.

  • Miradouro do Fragão do Corvo

A partir do Miradouro do Fragão do corvo, situado a cerca de 1440 metros de altitude, consegue-se uma vista panorâmica total sobre a Vila de Manteigas, mesmo ali à nossa frente. Vê-se também para a zona mais a norte alguns campos de cultivo, para sul vista sobre a Fraga da Cruz, e na linha do horizonte conseguimos ainda identificar a cidade da Guarda.

Miradouro do Fragão do Corvo

  • Visitar o viveiro de trutas de Manteigas

Este viveiro é gerido pelo ICNF e já foi abordado num outro artigo neste blog. Caso seja do seu interesse pode fazer-lhe uma visita, é de entrada gratuita, e pode também, se assim o entender, adquirir alguns exemplares. Existe venda no local, no entanto a aquisição tem de ser efectuada no centro da vila, nos serviços do ICNF. Este viveiro tira proveito das águas frias e cristalinas que vêem da serra e chegam até aqui com condições excelentes para a truticultura.

  • Outras imagens…

________________

Se gostou do artigo sinta-se à vontade para o comentar usando o formulário que se encontra mais abaixo, ou se preferir pode também partilha-lo com as suas amizades nas redes sociais, será para mim motivação de novas partilhas resultantes de outras experiências e vivências de viagem.

Bem haja!

2 comentários em “Faias de S. Lourenço

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s